ECLIPSE ANULAR DO SOL 26/02/2017

Eclipse anular do sol no domingo de Carnaval de 2017 e será visível como anular somente numa pequena área do Chile e da Argentina. alem do Oceano Atlântico e na Africa.

no Brasil o eclipse será visível como parcial.

Em Curitiba inicia as 09:54 da manha com seu máximo as 11:20 com quase 43% do sol

Em Porto Alegre o máximo é as 11:11 com 56%

E em Palmas -TO 11:45 com 4% encoberto

:

Diagrama de como é um eclipse anular….

Espacio Profundo

Animação mostrando a sombra usando horario em UT.

Fonte:

https://eclipse.gsfc.nasa.gov/SEgoogle/SEgoogle2001/SE2017Feb26Agoogle.html

http://www.espacioprofundo.com.ar/articulos.html/astronomia/sistema-solar/%C2%BFcomo-se-produce-un-eclipse-de-sol-r316/

http://www2.uol.com.br/sciam/noticias/eclipse_parcial_do_sol.html

Eclipse Anular del Sol- Alineamiento Sol, Tierra Luna, Venus, Pleyades, SOl de la galaxia

OAR – Observatório Astronômico Remoto

O Grupo Nevoeiro esta promovendo uma Vakinha on-line para fomentar uma das fase do projeto de automação do telescópio de 511mm do grupo.

Esta fase será apenas uma das etapas deste projeto, que no final poderá ser possível ter acesso as imagens deste telescópio pela internet. Esta etapa é a mais importante pois consiste na implementação da automatização dos movimentos do telescópio.
No término desta fase será possível controlar o telescópio fazendo uso de um MicroComputador ou de um Tablet. O sistema vai possibilitar a busca automática de objeto celeste como a Lua, Planetas, Galaxias, Nebulosas e Cometas. Permitir fazer fotografias de longa exposição que permite revelar maior detalhes do objeto celeste.
Serão utilizados componentes de fácil aquisição no mercado nacional e usaremos a plataforma do Arduino conjuntamente de módulos prontos.
Esta etapa vai gerar dois produtos:
  1. A automação do telescópio do grupo.
  2. A disponibilização na integra do projeto sob a licença GPL possibilitando qualquer pessoa a reproduzir este projeto.
Os detalhes da implementação serão:
  1. Utilização da plataforma Arduino Due de 32 Bits;
  2. Utilização de módulos e drivers comerciais;
  3. Desenvolvimento e disponibilização do programa que é carregado no arduino para controle do telescópio;
  4. Desenvolvimento e disponibilização dos esquemas elétrico e eletrônico;
  5. Utilização de motores de passo;
  6. A possibilidade de controlar o telescópio pelo computador, tablet ou celular fazendo o uso de software que suporte o protocolo LX200 (padrão de mercado);
  7. Conexão via bluetooth;
  8. Endereço dos documentos e programas de projeto estará em: https://github.com/rgnazar/ e neste blog.
 Hoje o telescópio conta somente com acompanhamento, e é analógico.
O valor do projeto esta previsto em R$ 3.327,06

teke

 

21062308910_9196f0223b_o16597993646_1f2bbe3acd_k

Endereço para a Vakinha
Ja atingimos 21.34 %

Arduino e Montagem Dobson Caseira com GOTO

O que é Arduino ?

Arduino é uma plataforma eletrônica de código aberto. Com hardware e software de fácil utilização. É destinado para todas as pessoa que desejam fazer projetos eletrônicos.

https://www.arduino.cc/

ArduinoDue_Front_450px

Característica dos Arduino:

  • Hardware livre, projeto livre, qualquer um pode clonar as placas mas não podem clonar o nome.
  • Programação baseado na linguagem C++ e JAVA, Fácil de aprender.
  • Não há restrição na comercialização de projetos baseado em Arduino.
  • Usa arquitetura ARM de processador
  • Baixo custo

O Arduino DUE

  • Microcontroller AT91SAM3X8E
  • A 32-bit core, that allows operations on 4 bytes wide data within a Single CPU clock. (for more information look int type page).
  • CPU Clock at 84Mhz.
  • 512 KBytes of Flash memory for code.
  • DMA controller, that can relieve the CPU from doing memory intensive tasks.
  • 54 pin I/O (of which 12 provide PWM output)
  • 04 Port Serial e 2 Port USB

Shields e módulos

  • Shields são placas com algum módulo embarcado e dedicado a algum modelo especifico de Arduino.
  • Módulos são dispositivos eletrônicos de facilitam o uso de componentes eletrônicos principalmente os soldados com SMD.

download

Onde comprar:

  • CHINA – Mercado Livre
  • Compras de eletrônicos, engrenagens, motores e acessórios.

Sobre o projeto!!!!

Motivação – Inspiração

A possibilidade de criar, inventar sempre me motivou…..

É o sangue ATM nas veias…..

Depois de conhecer alguns projetos disponíveis na internet comecei a minha aventura…..

  • http://soundstepper.sourceforge.net/
  • Maciel Bassani Sparrenberger
  • https://sites.google.com/site/picgoto/
  • Marcos Baungartner
  • http://www.stellarjourney.com/
  • Howard Dutton

O Projeto em si

  • Movimentação dos eixos em montagem Dobson;
  • Conversão de RA-DEC em AZ-ALT;
  • Cálculo de relação;
  • Protocolo LX200;
  • Código de programação;

Pré requisitos:

  1. Pouca solda;
  2. Controle do telescópio deve ser livre de PC;
  3. Usar motor de passo de baixo custo;
  4. Usar engrenagens e redução de baixo custo;
  5. Pouco ou nenhum serviço de torno;
  6. Pode usar varias tipos de fontes incluindo as de notebook (12volts a 30 volts)
  7. Aceitar  100% do protocolo LX200
  8. Melhorar o uso com  ASCOM;
  9. Controlar equatorial

Faça você mesmo!!!

  • Adepto ao faça você mesmo;
  • Aprendizagem multidisciplinar;
  • Pura curiosidade;

Vale Apena $$$$$$$

Não,

           Sim,

                  Talvez

Se for apena para economizar dinheiro acho que não vale apena….

Agora se quiser aprender muito e gosta de meter a mão na massa seja bem vindo….

Hardware minimo necessário:

  1. Arduino Due (32 bits);
  2. 02 driver DRV8834 ou A4988
  3.  Modulo Bluetooth JY-MCU
  4. Transformador DC-DC

Esquema elétrico

ainda em finalização

Protocolo LX200

  • Padrão de mercado;
  • Suportado por diversos software como SkySafari (Tablet); Cartes du Ciel; C2A; PHD Guiding.
  • Muito completo;
  • Sem reinventar a roda.
  • http://www.meade.com/support/LX200CommandSet.pdf

Mecânica Ferro-velho

Redução conseguida de limpador de para-brisa queimado.

figurafigura2figura5

Engrenagens de motor de arranque e cremalheira.
figura6figura8figura7figura4figura3figura9

 

Controle – Hand Tablet – Hand PAD

SkySafari- Reinventar a roda;
-Planetário de baixo custo 27 Dólares;

A Programação do Arduino

O código fonte para programar o Arduino se encontra neste link https://github.com/rgnazar/FIREGOTO-firmware

 

Domingo de Fé (11/01/2015)…. pois havia chuvas por todos os lados.

Domingo 11, fizemos uma tentativa de observação astronômica.
Mesmo com chuva na região o céu abriu várias vezes.
Anoiteceu depois das 21h00, horário de verão. Ficamos lá só até a meia noite
Pode parecer incrível, mas o céu, mesmo que burocrático, permitiu algumas fotografias.
O papo foi agradável e a noite produtiva.
Quanto às observações eu consegui apenas o cometa Lovejoy, seguindo o laser do Samuel.
Já o Reginaldo e o Samuel exploraram bem o céu.
Na caça ao cometa Lovejoy, mes passado estava entre Sirius e Canopus e hoje já na constelação de Touro!!
Anda rápido esse camarada!!
Registros feitos ontem dia 11/01/2015 em São Luis do Purunã,
Primeira foto Cometa LoveJoy, com frame único e tratamento simples, com o Dobsoniano Skywatcher de 10″ (254mm) em foco direto!!
As outras são  uma Geral do local do cometa, da nebulosa de Órion – M42, na constelação de Órion!!! e a ultima é “NOIS”….

cometA GERAL M42 OBSERVACAO

Encontro no Parque Barigui 09/08/2014 ( CANCELADO)

CANCELADO devido ao mau tempo.

Neste mês de Agosto, o Grupo Nevoeiro fará outro encontro no Parque Barigui, em Curitiba.

Data – 09 de Agosto de 2014 – De 18h00 até 20h00

Venha olhar a lua e mais alguns objetos do nosso céu.  Colocaremos vários telescópios para que todos possam olhar e admirar o  estrelado céu.

Objetos como:  Saturno, Marte e a Lua

DSC05926

Foto de encontro anterior do Grupo Nevoeiro no Barigui

Local – Parque Barigui
Perto da ponte de madeira da pista de cooper, e aparelhos de ginástica popular.)


Exibir mapa ampliado

Exibir mapa ampliado

Mapinha de como chegar pelo Google Maps

 

Vai caminhando pela pista de Cooper, logo voce encontrará nosso Banner e os telescópios, não tem como errar 🙂

*Considerando as previsões de tempo o evento está confirmado.

 

Encontro no Parque Barigui 10/05/2014

Neste mês de Maio, o Grupo Nevoeiro fará outro encontro no Parque Barigui, em Curitiba.

Data – 10 de Maio de 2014 – De 18h00 até 20h00

Venha olhar a lua e mais alguns objetos do nosso céu.  Colocaremos vários telescópios para que todos possam olhar e admirar o  estrelado céu.

Objetos como: Jupiter, Saturno, Marte e a Lua

DSC05926

Foto de encontro anterior do Grupo Nevoeiro no Barigui

Local – Parque Barigui
Perto da ponte de madeira da pista de cooper, e aparelhos de ginástica popular.)


Exibir mapa ampliado

Exibir mapa ampliado

Mapinha de como chegar pelo Google Maps

 

Vai caminhando pela pista de Cooper, logo voce encontrará nosso Banner e os telescópios, não tem como errar 🙂

*Considerando as previsões de tempo o evento está confirmado.

 

Observação – 07 e 08 de Fev de 2014

Como sempre depois de algumas mensagem na lista o Grupo Nevoeiro foi ao Morro dos Perdidos fazer uma saída de campo na esperança de ver o máximo da chuva de Meteoros alfa-Centaurídeos.

Saímos de Curitiba por volta das 20h00 chegando ao morro perto das 21h00.

Fomos bem atendidos pelo caseiro da fazenda e 21h30 estávamos armando o acampamento.

Acampamento Montado

Foto: Acampamento

Então começou formar no horizonte oeste uma tempestade.

Tempestade Chegando

Foto: Tempestade chegando

 

Logo a preocupação com raios foi tomando conta e para nos proteger ficamos alguns minutos dentro dos carros.

Raios

 Foto: Raios

 

Mas foi apenas um susto a chuva passou longe……

RaioChuvaChegandoWeb

Foto: chuva

 

Aí a observação começou 🙂

Foram vistos vários meteoros ao sul e vários objetos nos telescópios como Sombreiro, Plêiades do Sul, Eta Carine entre outros….

Grupo em observação

 Foto Telescópios

Com um céu espetacular mas cansados alguns foram tirar uma soneca enquanto contemplamos o SUL a espera de mais meteoros.

Polo Sul no Morro

Foto: pólo sul

 

Logo a deusa Vênus apareceu avisando que a noite estava terminando….

Venus nasceu

Foto: Vênus com Escorpião

 

E fomos contemplar chegada do astro rei.

Alvorada

Foto: Alvorada

 

Fim

 Foto: Povo

 

Post em atualização

Crônica sobre cometas e o ISON.

Entre os vários comentários nos blogs sobre o ISON, recebemos na lista do nevoeiro esta crônica do Site G1  de autoria do Cassio Barbosa , reproduzimos abaixo na íntegra:

Nós estivemos acompanhando aqui no G1 e em vários outros sites toda a saga do cometa Ison, lembra? Desde que foi descoberto ele foi batizado de “cometa do século”. Isso porque ainda além da órbita de Júpiter, seu brilho já era o de um cometa que estivesse muito mais próximo. Aplicando-se os modelos que descrevem como o brilho aumenta com a diminuição da distância ao Sol, a previsão era de que seria possível que ele fosse visto até mesmo de dia. Esses modelos foram construídos em observações de cometas típicos durante décadas, sendo aperfeiçoados cometa após cometa.

Para que ele se tornasse o tal cometa do século, o Ison precisaria resistir a uma prova e tanto. Sua órbita previa um periélio (a menor distância até o Sol) tão curto que o cometa teria de atravessar a coroa solar sem ser destruído, tanto pelas imensas temperaturas, quanto pelas intensas forças gravitacionais. Os prognósticos eram ruins, mas outros cometas passaram por isso anteriormente e sobreviveram para contar a história, ainda que nenhum tenha ficado tão brilhante assim.

O fato é que o Ison não é um cometa típico e adora pregar peças nos astrônomos: ele estava brilhante onde deveria estar fraco; ele manteve seu brilho constante, quando deveria ter aumentado; sofreu uma violenta erupção, com a emissão de jatos, quando seu núcleo estava “adormecido”; e finalmente, perdeu brilho conforme se aproximou do Sol, quando deveria estar em seu máximo, e se desintegrou no periélio. Só que não!

Já há dois dias que venho acompanhado o Ison quase que de hora em hora, através das imagens obtidas pelos satélites que monitoram continuamente a atividade solar, como o Soho e os Stereo. Durante a tarde a expectativa pela passagem pelo periélio e a sobrevivência do núcleo após esse encontro tórrido com o Sol tomou conta de muita gente. Tanto que o site do satélite Soho, com as melhores imagens dessa passagem saiu do ar.

No meio da tarde o Ison mergulhou por trás do disco solar e suas últimas imagens não eram lá muito auspiciosas. Elas mostravam um cometa com “cabeça pontuda”, como se as partes externas de uma pedra fossem sendo desbastadas, até que uma bolinha brilhante se tornasse a ponta de um alfinete brilhante. Esse é o sinal de que o núcleo é consumido ou se desintegra. Em ambos os casos, destruído.

Durante algum tempo ainda, astrônomos ficaram debatendo se o Ison surgiria novamente nas imagens dos satélites, mas ninguém tinha muita esperança.

Quando já havia um consenso de que o Ison não teria resistido ao seu periélio,  o Soho mostrou uma imagem em que é possível ainda ver uma tênue cauda surgindo na direção esperada para o cometa. Tipo cauda de um núcleo inexistente.

O que deve ter acontecido é que fragmentos do núcleo do Ison continuaram seguindo a órbita do núcleo, como uma bola de neve que vai se despedaçando durante o voo. Apesar das aparências e querer muito que fosse ele, sem dúvida nenhuma o Ison nos pregou outra peça!

Em primeiro lugar, o tal cometa sem cabeça foi interpretado como os fragmentos do núcleo exauridos de todo o gelo, portanto, com pouco brilho. Só a reflexão da luz do Sol nos destroços rochosos. Só que aos poucos o a ponta dessa agulha está se tornando mais brilhante.

Na última imagem do Soho, neste começo de madrugada, ele voltou a ter coma! Isso pode significar que uma parte do núcleo do cometa deve sim ter sobrevivido e está ativo, ou seja, ainda há gelo suficiente nele para formar a coma em volta do núcleo e uma pequena cauda! O cometa deve então seguir sua trajetória e voltar a ser observado no começo de dezembro, especialmente no hemisfério norte.

Mas, na real, eu não aposto em mais nada e termos de previsão para o Ison. Dois colegas meus “enterraram” o cometa mais cedo. Eu mesmo reescrevi este post 2 vezes e ainda estou esperando as imagens mais recentes para poder dizer alguma coisa com mais firmeza. Não duvido que mais tarde as imagens mostrem que essa coma seja a fragmentação derradeira dos destroços do núcleo, pondo um ponto final nisso tudo.

Mas uma coisa é certa. O Ison veio para animar o cenário de cometas. Astrônomos que lidam com imagens do Soho afirmaram que já viram centenas de cometas, mas nenhum como esse. Adaptando uma piadinha que correu no Twitter desse pessoal, “exemplos de mortos que voltaram à vida: vampiros, zumbis, Jason e agora o Ison.

*Crédito: Agência Espacial Europeia “

Fonte: http://g1.globo.com/platb/observatoriog1/2013/11/29/ison-o-cometa-piadista-do-seculo/

 

 

 

C/2012 S1 ISON – A Saga ISON – ISOFF

 

O dia de hoje, 28 de novembro de 2013, foi de grande expectativa para os astrônomos do mundo todo, pois marcou o periélio do cometa ISON. Isso significa que às 18h43 UT desse dia, o chamado “cometa do século” esteve em seu ponto mais próximo ao Sol.

A expectativa dos astrônomos em validar suas teorias sobres os cometas (explode? Sobrevive? Por quê?) fizeram os principais fóruns sobre o assunto baterem recorde de mensagem/hora, além de tornar o acesso às imagens da sonda SOHO um verdadeiro milagre.

A NASA fez um hangout com 2 horas de duração para tentar mostrar “ao vivo” o registro do ISON feito pelas sondas SDO.

A saga ISON e ISOFF (obrigada pela piadinha Glauco)  foi acompanhada e discutida por diversos membros do Nevoeiro. Veja abaixo um pouco do que aconteceu.

ISON – Todo mundo vendo o cometa se aproximando do Sol com brilho e força consideráveis. Alguns canais chegaram a dizer que era possível visualizar o ISON a olho nu.

ISOFF – A morte foi declarada em diversos momentos para o cometa, principalmente depois que a imagem abaixo foi divulgada.

ISON_C2_2

2013 November 28 @ 17:36 UT
Aqui a foto mostra uma CAUDA sem COMA, ou seja, o núcleo do cometa não existira mais.

http://www.alpo-astronomy.org/cometblog/?p=148

ISON – O cometa volta a dar o ar da sua graça. A foto de 29-Novembro mostra que uma grande quantidade de material resistiu e não sublimou como foi noticiado.

latest

2013 November 29 @ 09:11 UT

Veja a saga completa do ISON em diversos ângulos nas imagens abaixo.

-clique na imagem para ver a animação-

Visão do C2 da SOHO
lasco-ison

Visão do COR2 da STEREO
S2MEa15

Visão do C3 da SOHO
ISONC3latest

sol_azul_grande

 

O texto a seguir foi retirado e traduzido da lista de discussão comets-ml, do Yahoo! Groups, e descreve a opinião do Carl Hergenrother sobre o que pode ter acontecido com o ISON.

O que pode estar ocorrendo:

1) O núcleo do ISON fragmentou em vários pedaços menores. É essa nuvem de mini-núcleos que continua a sublimar . Ao invés de um coma condensado agora temos um coma prolongado difusa que deve continua a espalhar-se e desaparecer. Os mini-núcleos individuais vão se separar ( devido à pressão da radiação solar e ventos solares ). Isto é o que ocorreu com outros cometas desintegrados como C/1999 S4 ( LINEAR ) C/2010 X1 e ( Elenin ). O rompimento não significa que o cometa desaparece instantaneamente, como os mini-núcleos pode durar alguns dias ou semanas após a fragmentação . De certa forma, o cometa parece apenas desmoronar. Com base nas imagens SOHO que eu vi esse é o meu palpite para o que está acontecendo com ISON .

2) Grande parte do coma ISON consistiu em pequenas partículas de poeira que foram vaporizados pelo calor intenso do sol. Vimos algo semelhante com C/2011 W3 ( Lovejoy ) como apontado por Joe Marcus, Zdenek Sekanina e Paul Chodas em seus artigos sobre o assunto . Se este é o caso com ISON , deve sumir a medida que se afasta do sol.

John Bortle mencionou o caso de Seki-Lines em 1962. Como ISON , uma dinâmica nova cometa que se aproximaram centésimos de UA do sol e apesar de terem sido brilhante antes e depois do periélio, não foi observado no momento do periélio. Era quase como se o cometa fosse desligado próximo periélio. Talvez fosse a vaporização do seu coma poeira pelo intenso calor solar ou qualquer outra coisa, mas um segundo exemplo de cometa, o Lovejoy, parecia desaparecer próximo periélio só para voltar forte depois.

Se tivermos sorte, o núcleo permanece em uma única peça para refazer a coma e cauda mais substancial.

– Carl Hergenrother

O cometa em si não se apresentou como o “GRANDE COMETA DO SÉCULO”. Repare no tamanho do ISON (no centro) em comparação com o C/2006 P1 McNaught (à esquerda) na figura abaixo.

comparacao

O site Apollo 11 também acompanhou o “cometa do século” e registrou os diversos momentos ISON e ISOFF. Clique aqui para acessar a matéria.

Como o ISON foi imprevisível em diversos momentos da sua trajetória até aqui, agora o jeito é esperar e ver como o cometa (ou o que sobrou dele) irá se comportar.