Crônica sobre cometas e o ISON.

Entre os vários comentários nos blogs sobre o ISON, recebemos na lista do nevoeiro esta crônica do Site G1  de autoria do Cassio Barbosa , reproduzimos abaixo na íntegra:

Nós estivemos acompanhando aqui no G1 e em vários outros sites toda a saga do cometa Ison, lembra? Desde que foi descoberto ele foi batizado de “cometa do século”. Isso porque ainda além da órbita de Júpiter, seu brilho já era o de um cometa que estivesse muito mais próximo. Aplicando-se os modelos que descrevem como o brilho aumenta com a diminuição da distância ao Sol, a previsão era de que seria possível que ele fosse visto até mesmo de dia. Esses modelos foram construídos em observações de cometas típicos durante décadas, sendo aperfeiçoados cometa após cometa.

Para que ele se tornasse o tal cometa do século, o Ison precisaria resistir a uma prova e tanto. Sua órbita previa um periélio (a menor distância até o Sol) tão curto que o cometa teria de atravessar a coroa solar sem ser destruído, tanto pelas imensas temperaturas, quanto pelas intensas forças gravitacionais. Os prognósticos eram ruins, mas outros cometas passaram por isso anteriormente e sobreviveram para contar a história, ainda que nenhum tenha ficado tão brilhante assim.

O fato é que o Ison não é um cometa típico e adora pregar peças nos astrônomos: ele estava brilhante onde deveria estar fraco; ele manteve seu brilho constante, quando deveria ter aumentado; sofreu uma violenta erupção, com a emissão de jatos, quando seu núcleo estava “adormecido”; e finalmente, perdeu brilho conforme se aproximou do Sol, quando deveria estar em seu máximo, e se desintegrou no periélio. Só que não!

Já há dois dias que venho acompanhado o Ison quase que de hora em hora, através das imagens obtidas pelos satélites que monitoram continuamente a atividade solar, como o Soho e os Stereo. Durante a tarde a expectativa pela passagem pelo periélio e a sobrevivência do núcleo após esse encontro tórrido com o Sol tomou conta de muita gente. Tanto que o site do satélite Soho, com as melhores imagens dessa passagem saiu do ar.

No meio da tarde o Ison mergulhou por trás do disco solar e suas últimas imagens não eram lá muito auspiciosas. Elas mostravam um cometa com “cabeça pontuda”, como se as partes externas de uma pedra fossem sendo desbastadas, até que uma bolinha brilhante se tornasse a ponta de um alfinete brilhante. Esse é o sinal de que o núcleo é consumido ou se desintegra. Em ambos os casos, destruído.

Durante algum tempo ainda, astrônomos ficaram debatendo se o Ison surgiria novamente nas imagens dos satélites, mas ninguém tinha muita esperança.

Quando já havia um consenso de que o Ison não teria resistido ao seu periélio,  o Soho mostrou uma imagem em que é possível ainda ver uma tênue cauda surgindo na direção esperada para o cometa. Tipo cauda de um núcleo inexistente.

O que deve ter acontecido é que fragmentos do núcleo do Ison continuaram seguindo a órbita do núcleo, como uma bola de neve que vai se despedaçando durante o voo. Apesar das aparências e querer muito que fosse ele, sem dúvida nenhuma o Ison nos pregou outra peça!

Em primeiro lugar, o tal cometa sem cabeça foi interpretado como os fragmentos do núcleo exauridos de todo o gelo, portanto, com pouco brilho. Só a reflexão da luz do Sol nos destroços rochosos. Só que aos poucos o a ponta dessa agulha está se tornando mais brilhante.

Na última imagem do Soho, neste começo de madrugada, ele voltou a ter coma! Isso pode significar que uma parte do núcleo do cometa deve sim ter sobrevivido e está ativo, ou seja, ainda há gelo suficiente nele para formar a coma em volta do núcleo e uma pequena cauda! O cometa deve então seguir sua trajetória e voltar a ser observado no começo de dezembro, especialmente no hemisfério norte.

Mas, na real, eu não aposto em mais nada e termos de previsão para o Ison. Dois colegas meus “enterraram” o cometa mais cedo. Eu mesmo reescrevi este post 2 vezes e ainda estou esperando as imagens mais recentes para poder dizer alguma coisa com mais firmeza. Não duvido que mais tarde as imagens mostrem que essa coma seja a fragmentação derradeira dos destroços do núcleo, pondo um ponto final nisso tudo.

Mas uma coisa é certa. O Ison veio para animar o cenário de cometas. Astrônomos que lidam com imagens do Soho afirmaram que já viram centenas de cometas, mas nenhum como esse. Adaptando uma piadinha que correu no Twitter desse pessoal, “exemplos de mortos que voltaram à vida: vampiros, zumbis, Jason e agora o Ison.

*Crédito: Agência Espacial Europeia “

Fonte: http://g1.globo.com/platb/observatoriog1/2013/11/29/ison-o-cometa-piadista-do-seculo/

 

 

 

C/2012 S1 ISON – A Saga ISON – ISOFF

 

O dia de hoje, 28 de novembro de 2013, foi de grande expectativa para os astrônomos do mundo todo, pois marcou o periélio do cometa ISON. Isso significa que às 18h43 UT desse dia, o chamado “cometa do século” esteve em seu ponto mais próximo ao Sol.

A expectativa dos astrônomos em validar suas teorias sobres os cometas (explode? Sobrevive? Por quê?) fizeram os principais fóruns sobre o assunto baterem recorde de mensagem/hora, além de tornar o acesso às imagens da sonda SOHO um verdadeiro milagre.

A NASA fez um hangout com 2 horas de duração para tentar mostrar “ao vivo” o registro do ISON feito pelas sondas SDO.

A saga ISON e ISOFF (obrigada pela piadinha Glauco)  foi acompanhada e discutida por diversos membros do Nevoeiro. Veja abaixo um pouco do que aconteceu.

ISON – Todo mundo vendo o cometa se aproximando do Sol com brilho e força consideráveis. Alguns canais chegaram a dizer que era possível visualizar o ISON a olho nu.

ISOFF – A morte foi declarada em diversos momentos para o cometa, principalmente depois que a imagem abaixo foi divulgada.

ISON_C2_2

2013 November 28 @ 17:36 UT
Aqui a foto mostra uma CAUDA sem COMA, ou seja, o núcleo do cometa não existira mais.

http://www.alpo-astronomy.org/cometblog/?p=148

ISON – O cometa volta a dar o ar da sua graça. A foto de 29-Novembro mostra que uma grande quantidade de material resistiu e não sublimou como foi noticiado.

latest

2013 November 29 @ 09:11 UT

Veja a saga completa do ISON em diversos ângulos nas imagens abaixo.

-clique na imagem para ver a animação-

Visão do C2 da SOHO
lasco-ison

Visão do COR2 da STEREO
S2MEa15

Visão do C3 da SOHO
ISONC3latest

sol_azul_grande

 

O texto a seguir foi retirado e traduzido da lista de discussão comets-ml, do Yahoo! Groups, e descreve a opinião do Carl Hergenrother sobre o que pode ter acontecido com o ISON.

O que pode estar ocorrendo:

1) O núcleo do ISON fragmentou em vários pedaços menores. É essa nuvem de mini-núcleos que continua a sublimar . Ao invés de um coma condensado agora temos um coma prolongado difusa que deve continua a espalhar-se e desaparecer. Os mini-núcleos individuais vão se separar ( devido à pressão da radiação solar e ventos solares ). Isto é o que ocorreu com outros cometas desintegrados como C/1999 S4 ( LINEAR ) C/2010 X1 e ( Elenin ). O rompimento não significa que o cometa desaparece instantaneamente, como os mini-núcleos pode durar alguns dias ou semanas após a fragmentação . De certa forma, o cometa parece apenas desmoronar. Com base nas imagens SOHO que eu vi esse é o meu palpite para o que está acontecendo com ISON .

2) Grande parte do coma ISON consistiu em pequenas partículas de poeira que foram vaporizados pelo calor intenso do sol. Vimos algo semelhante com C/2011 W3 ( Lovejoy ) como apontado por Joe Marcus, Zdenek Sekanina e Paul Chodas em seus artigos sobre o assunto . Se este é o caso com ISON , deve sumir a medida que se afasta do sol.

John Bortle mencionou o caso de Seki-Lines em 1962. Como ISON , uma dinâmica nova cometa que se aproximaram centésimos de UA do sol e apesar de terem sido brilhante antes e depois do periélio, não foi observado no momento do periélio. Era quase como se o cometa fosse desligado próximo periélio. Talvez fosse a vaporização do seu coma poeira pelo intenso calor solar ou qualquer outra coisa, mas um segundo exemplo de cometa, o Lovejoy, parecia desaparecer próximo periélio só para voltar forte depois.

Se tivermos sorte, o núcleo permanece em uma única peça para refazer a coma e cauda mais substancial.

– Carl Hergenrother

O cometa em si não se apresentou como o “GRANDE COMETA DO SÉCULO”. Repare no tamanho do ISON (no centro) em comparação com o C/2006 P1 McNaught (à esquerda) na figura abaixo.

comparacao

O site Apollo 11 também acompanhou o “cometa do século” e registrou os diversos momentos ISON e ISOFF. Clique aqui para acessar a matéria.

Como o ISON foi imprevisível em diversos momentos da sua trajetória até aqui, agora o jeito é esperar e ver como o cometa (ou o que sobrou dele) irá se comportar.

Eclipse do Sol – 03/Nov

A informações abaixo são do site Climatologia Geográfica.

Eclipse Solar total ocorrerá no dia 03 de Novembro de 2013

Eclipse Solar
Dia 03 /11 ocorrerá um Eclipse total do Sol.

O fenômeno irá ocorrer em 3 de novembro de 2013. Será visível com totalidade no norte do Oceano Atlântico a leste de Flórida, Gabão e na África, ao sul de Costa do Marfim e Gana, com o máximo de 1 minuto e 39 segundos. Também será visível em parte da Região Norte e em todo território do Nordeste do Brasil. Será visível, também em parte, em toda a extensão dos restantes países de língua oficial portuguesa inclusive na região Sul do Brasil, à exceção de Timor-Leste. […]

Para saber mais informações a respeito do fenômeno, acesse a página original da notícia clicando aqui.

Workshop – Setembro de 2013

Quem disse que com chuva não tem astronomia? No sábado, dia 21 de setembro, o grupo Nevoeiro se reuniu para um workshop. A ideia era reunir a maior quantidade de novatos do grupo e bater um papo sobre assuntos relacionados à astronomia.

Mesmo com a chuva, o local com churrasqueira quase ficou pequeno para as cerca de 20 pessoas que comparecerem ao evento.

IMG_3003 copy

IMG_3004 copy

IMG_3007 copy

IMG_3008 copy

Os temas abordados no workshop foram:

Reginaldo

  • Perspectivas para o cometa ISON, como observar;
  • Empilhamento de fotos com o DSS e o RotAndStack.

Fernando

  • Alinhamento Polar da montagem equatorial;
  • Alinhamento por deriva;
  • Localização do polo sul celeste;
  • Astrofotografia.

Marcelo Martins

  • Uso do Telescópio Newtoniano;
  • Buscadora: para o que serve essa lunetinha?;
  • Como se localizar no céu;
  • Como usar uma mapa celeste;
  • Qual o melhor telescópio para meu uso?

A chuva acabou atrapalhando a ideia de colocar na prática o que foi falado na teoria, mas mesmo assim, com o Stellarium e alguns instrumentos, foi possível explicar um pouco sobre esse hobbie tão gratificante que é a astronomia.

IMG_3014 copy

IMG_3016 copy

IMG_3017 copy

IMG_3011 copy

No meio de toda essa conversa sobre astronomia, teve também muita risada e uma comida deliciosa patrocinada pelos amigos Odilon e Samuel. O papo encerrou já perto da meia-noite, com muita chuva para deixar a ida para casa mais emocionante.

Esperamos que os “novatos” tenham gostado do workshop. A ideia era ajudar um pouco nesse início cheio de dúvidas e estimular os iniciantes para que eles não desistam dessa área pelas dificuldades enfrentadas no começo.

IMG_3019 copy

2013-09-21 17.42.42

IMG_3002 copy

Conversa rolando perto da churrasqueira.

Conversa rolando perto da churrasqueira.

Agora é só esperar o tempo melhorar para sairmos a campo e ver na prática o que foi comentado no workshop.

*Crédito das fotos: Fernando Lopes

Nevoeiro no Morro dos Perdidos…

No sábado , 11/05/2013 , alguns membros do Grupo Nevoeiro fizeram  uma observação no Morro dos Perdidos, Município de Guaratuba/PR, bem no começo da Serra do Mar.

Eu (Marcelo),  Reginaldo e Filó que já tinha visitado o local, saímos de Curitiba lá pelas 15:30. O três + telescópio, blusas, bugigangas no carro.

Chegamos cedo, por volta das 16:30, e começamos a subir o morro.

Bom, a ” ultima milha”  é para os fortes. apesar de ter asfalto, concreto e pedra a subida é bem ingrime  e curvas bem fechadinhas… Mas o Siena do Reginaldo subiu bravamente os 1450 metros de altitude do morro.

No topo tem algumas antenas de comunicação, mas que não atrapalharam a observação.

webnois

 

Foto do Reginaldo

– O por do sol estava muito bonito, vermelho nas nuvens que estavam  abaixo de nós,  um belo tapete de  nuvens.

webLuaCinera

 

Foto do Reginaldo

– 18:00hs já tínhamos a Lua bem fininha e Júpiter… uma pintura junto com o por do sol.. Olha a finura da Lua nesta bela foto do Filó:

Foto Filo

Com as primeiras estrelas, alinhei a montagem e observamos das 18:30 até as 20:30 sem parar. O céu limpou caprichosamente sobre nós, ficando o manto de nuvens abaixo de nós.

Telescópio pronto para ação.

Observamos vários NGCs que o Reginaldo selecionou  pequenos objetos entre galaxias e aglomerados globulares. M42, m83, m4, m8, Mx, esqueci de anotar todos. Omega centauro, Centauros A, Caixinha de Joias, Sombrero, tripleto de leão… a lista foi longa.

wcruz
Foto do Reginaldo – Cruzeiro do Sul

Destaque para ver Escorpião inteiro no Leste e Orion inteiro no Oeste… E no norte vi a Grande panela (Ursa Maior) inteirinha…. Saturo, com uma barlow 2x e ocular de 6mm entregou facinho a divisão de cassini… um presente na observação.

Logo após  20:30hs paramos para o lanche e repor as energias. Acho que a caminhada na área para reconhecer o lugar me deixou muito cansado.

Depois continuei um passeio pelo céu, usando o Astromist para identificar os objetos em cada constelação e o Reginaldo e o Filó nas fotografias.

Neste momento enquanto eu alinhava o tele para Eta de Carine, vi uma luz intensa, que projetou  minha sombra e do Tele no chão  olhei para cima e bem no cruzeiro um belo meteoro desintegrando… Lindo, Luz azulada forte, sentido Norte sul, pena que só vi o finalzinho… Mas foi lindo!!!

Lá pelas 22:00hs descemos o Morro, cansados e felizes. Meia noite  em casa, felizes, mas sentido o sinal da idade nos mocinhos da cidade… risos….

Observação – 05 e 06 de abril

Depois de muita espera e um início de 2013 praticamente sem céu, enfim uma noite decente de observação. Sexta-feira (05/04) e sábado (06/04), o grupo Nevoeiro finalmente se reuniu para apreciar as noites estreladas.

Na sexta-feira, sem vento, com temperatura agradável e sem a Lua para “atrapalhar”, 5 membros do grupo se dirigiram até uma fazenda em São Luiz do Purunã. Com os equipamentos do Fernando, Glauco, Reginaldo, Marcelo e da Elaine, a noite foi muito proveitosa. Enquanto o Glauco dedicava a noite para tirar fotos, Marcelo aproveitou para inaugurar oficialmente o novo 254mm adquirido recentemente.

Entre os objetos observados estão:

  • Ômega do Centauro
  • Carinae
  • Saturno
  • Júpiter
  • Órion e o Trapézio
  • Antenae
  • Black Eye
  • Tripleto em Leão
  • Caixa de Jóias
  • Blue Planetary
  • Sombrero
  • Centaurus A
  • Nebulosas da Lagoa e Trifídia
  • M3
  • M5
  • M80
  • M83
  • M4
  • M68

Com o cansaço batendo, lá pelas 3h o Marcelo e a Elaine começaram a desmontar os equipamentos para ir embora. Glauco, Fernando e Reginaldo aproveitaram mais um pouco a noite, encerrando as atividades da sexta-feira por volta das 4h da manhã. Seguem algumas imagens feitas pelo Fernando, Glauco e Reginaldo.

Lagoa e Trifidia

Lagoa e Trifidia

Sombrero

Sombrero

Grande Nuvem de Magalhães, 9min e 30s de exposição,

Grande Nuvem de Magalhães, 9min e 30s de exposição,

Antares e Rho Ophiuchi, 6 minutos de exposição, logo acima da PL de Curitiba

Antares e Rho Ophiuchi, 6 minutos de exposição, logo acima da PL de Curitiba

3372 C92BRTNB	10h45	-59°52'	 Eta Carinae	CAR © Fernando

3372 C92 BRTNB 10h45 -59°52′ Eta Carinae CAR
© Fernando

No sábado, embora a previsão não garantisse um céu tão bom quanto do dia anterior, a dose de observação foi repetida. Fernando, Elaine e Marcelo marcaram presença. De fato, o céu não estava dos melhores, mas foi possível ver bastante objetos mesmo assim.

Para inaugurar a lista, Júpiter. Depois vieram:

  • M44 (Presépio)
  • M67
  • M41
  • Beta de Monoceros (sistema ternário de estrelas)
  • Ghost of Jupiter
  • Black Eye Planetary
  • M53
  • Tarantula

Vimos vários meteoritos, a maioria em Órion no oeste e a Elaine viu um bólido que deixou rastro no leste. No sábado, por causa do céu fechado, a observação encerrou próximo à 0h.

Agora sim, podemos considerar o ano de 2013 inaugurado para observações. E que venham muitos outros finais de semana como este.

Dois cometas em uma noite – C/2011 L4 PANSTARRS e C/2012 F6 Lemmon

Na sexta feira (01/03/2013) o Fernando foi a São Luiz do Purunã/PR para registrar os cometas , veja os registros abaixo:

Aqui um belo registro do C/2011 L4 PANSTARRS

IMG-0684-MOPM-crop

Oeste + C/2011 L4 PANSTARRS

Em close:

IMG-0704-web

C/2011 L4 PANSTARRS

 

Neste registro do Reginaldo no dia 28/02/2013 em São Luiz do Purunã:

PanStars

 

Depois outro belo registro do C/2012 F6 Lemmon :

IMG-0722-web

C/2012 F6 Lemmon

No final , o Fernando fez estes belos registros , começando pela Região de Carine:

IMG-0740-web

Eta Carine

Depois a Grande Nuvem de Magalhães:

IMG-0745-copy

Grande Nuvem de Magalhães

 

E para fechar esta belíssima foto do Fernando da Nebulosa de Órion:

IMG-0750-copy

.

Cometas no fim de semana

Neste Domingo o Grupo Nevoeiro tentou observar os cometas Panstarrs L4 e Lemmon L6.

Eu, Reginaldo, Filó e , Elaine tentamos  observar numa região próximo a Lapa/PR e o Fernando e o Glauco perto da Serra de São Luis do Purunã/PR

Em lapa o grupo foi presenteado com um belo arco-iris na chegada:

IMG_9027

E em seguida pela Lua cheia, infelizmente nao conseguimos localizar o Pamstars , que estava muito baixo no horizonte e com muitas nuvens na região.

IMG_9054

E apesar que o céu não estava muito favorável conseguimos observar o Lemmon L6, abaixo uma foto que eu tirei em Lapa/PR

lemom

 

E esta tirada pelo Galuco em São Luiz do Purunã:

image005

 

E aqui o Grupo em Lapa iluminado pela bela lua cheia:

IMG_9056

 

E o Glauco aproveitou e tirou esta foto de Órion em São Luiz do Purunã:

image004

.